O Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado da Bahia – Sindhosba vem através deste documento prestar informações aos seus associados e contribuintes, bem como a toda sociedade, sobre o andamento das negociações coletivas de 2016.

Hoje o Sindhosba negocia com 9 sindicatos dos trabalhadores: Sindicato dos Trabalhadores em Santas Casas, Entidades Filantrópicas, Beneficentes e Religiosas e em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado da Bahia (Sindisaúde); Sindicato dos Enfermeiros do Estado da Bahia (Seeb); Sindicato dos/as Psicólogos/as no Estado da Bahia (Sinpsi), Sindicato dos Assistentes Sociais do Estado da Bahia (Sasb), Sindicato dos Nutricionistas no Estado da Bahia (Sindnut); Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Radiologia do Estado Bahia (Sindimagem); Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais da Bahia (Sinfito); Sindicato dos Médicos do Estado da Bahia (Sindimed); e, Sindicato dos Farmacêuticos da Estado da Bahia (Sindifarma).

O Comitê de Negociações Coletivas, responsável por negociar com todos os sindicatos dos trabalhadores, foi formado a partir da Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 07 de abril de 2016 e de lá para cá já ocorreram 10 reuniões conforme calendário abaixo:

11.04.2016 – Sindisaúde

13.04.2016 – Sasb/ Sindnut/ Sinpsi

18.04.2016 – Sindisaúde

19.04.2016 – Seeb

02.05.2016 – Sindimed

09.05.2016 – Sindimed / Sinfito / Sindifarma

18.05.2016 – Sasb

07.06.2016 – Sindisaúde

14.06.2016 – Sindisaúde

30.06.2016 – Sindimagem

Este ano o processo de negociação apresenta muitos desafios. A saúde suplementar perdeu mais de 1,3 milhão de clientes entre março do ano passado e março deste ano, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), sendo 617 mil somente no primeiro trimestre deste ano. Pode-se acrescentar a este cenário, o problema com as glosas, a pesada carga tributária que atinge o setor, subfaturamento e a falta de reajuste nas tabelas das operadoras de planos de saúde, o que complica ainda mais a situação. Diante deste panorama, os empresários da área estão buscando soluções para as negociações coletivas de 2016.

A proposta aprovada na Assembleia Geral Extraordinária realizada no dia 7 de abril de 2016 consiste no congelamento dos salários e na manutenção das conquistas anteriores. A justificativa desta proposta está nos dados apresentados acima. Além disso, o Sindicato, enquanto representante da categoria patronal, não pode aprovar um reajuste que onere ainda mais a folha de pagamento dos serviços de saúde privados do Estado porque esta decisão comprometerá ainda mais a difícil situação que vivem.

O Sindhosba, da mesma forma que fez até aqui, continua aberto às negociações com todos os sindicatos dos trabalhadores para que possamos chegar a um denominador comum, que possa ser satisfatório para empregados e empresas e, que não acarrete o encerramento de atividades de mais unidades de saúde do Estado. A saúde é o maior bem de todos os seres humanos e, portanto, precisamos cuidar da melhor forma deste setor que cuida tão bem de todos nós.

Salvador, 07 de julho de 2016

Raimundo Correia – Presidente do Sindhosba