28 fev 2018
fevereiro 28, 2018

Como vencer a insatisfação no trabalho

0 Comment

Manuela Vidal*

É praticamente normal nos sentirmos, em determinado momento, desmotivados com o nosso trabalho. Mesmo se formos donos de empresa, quando as coisas não saem como planejamos, eventualmente nos perguntamos se estamos no caminho certo. Em um emprego que somos os empregados, muitos processos não dependem de nós, e quando dão errado ou se tornam demorados, a frustração fala mais alto que a motivação de tentar novamente. Apesar de ser quase habitual essa desmotivação, podemos vencê-la!! Basta nos atentarmos para as orientações abaixo:

Identifique o problema

Primeiro, você precisa identificar o que te deixa insatisfeito. Muitos de nós nos equivocamos ao pensar que a insatisfação não tem uma origem, apenas a nossa motivação declinou com o passar do tempo. Mas há sim motivos que nos deixam para baixo! Pode ser um chefe negligente, excesso de tarefas, falta de perspectiva de crescimento, salário baixo e/ou até o perfil implicante do seu colega de trabalho. Você precisa identificar o que mais te incomoda para poder traçar estratégias de motivação. Uma pergunta que pode te ajudar é: “o que poderia deixar de existir no meu trabalho que me deixaria mais feliz?”. As respostas são variadas e interessantes, experimente este exercício! A partir daí você consegue identificar exatamente o que te deixa insatisfeito e elaborar um plano de ação para combater a desmotivação.

Peça ajuda

Boa parte das respostas à pergunta provocada acima é: “falta de reconhecimento”; “ausência de promoção”; “negligência na capacitação do profissional”. Se alguma resposta sua é semelhante a uma dessas, ou ainda que seja divergente mas a mudança não depende somente de você, peça ajuda. E ajuda deve ser entendida como todo tipo: converse com o seu chefe para pedir e dar feedbacks, peça algumas horas de um estagiário para auxiliar você a organizar os seus papéis e e-mails, liste todas as atividades que você faz e verifique se há alguma que não é inerente ao seu cargo/função e redistribua as tarefas. Não é tão difícil quanto parece, o mundo corporativo está mudando e “Gestão de Pessoas” está sendo o foco das melhores empresas. A que você trabalha não vai querer ficar de fora, não é mesmo?

Acredite na mudança

Muitas pessoas, quando dou estes conselhos, dizem que já tentaram de tudo ou que já não têm mais paciência/esperança de tentar. Mas é preciso acreditar nas mudanças, especialmente quando vêm de cima (da gestão). Tenho acompanhado o real interesse de líderes que estão buscando mudanças em seus próprios perfis e dentro da empresa, para promover um melhor ambiente organizacional. Precisamos deixar de lado a nossa contaminação e acreditar honestamente que as pessoas desejam mudar. Nós acreditamos que podemos mudar, não é mesmo? As outras pessoas também podem! Então não remem contra a maré da mudança, e sim promovam um ambiente receptivo à chegada da nova era.

Recicle-se

As baixas remunerações ou a ausência de uma política de cargos e salários ainda figuram no topo dos motivos de insatisfação no trabalho. A minha sugestão é você pesquisar no mercado os salários pagos ao pessoal que faz o mesmo que você, para que você tenha um melhor embasamento para solicitar aumento, por exemplo. Observe as qualificações que este pessoal tem, e se você ficar devendo em alguma, não deixe de se reciclar. Não somente para o trabalho atual, mas para os que você pode galgar. Cursos online e/ou presenciais, treinamentos, leitura de livros e revistas, todas estas ferramentas te deixam mais qualificado para enfrentar as exigências do mercado, que são cada vez maiores. Portanto, em paralelo às atitudes acima, busque sempre o seu desenvolvimento profissional, e isto deve partir de você!

Espero que tenham ficado mais motivados com esta leitura. Desejo boa sorte e bom aproveitamento das lições!

*Administradora especializada em Gestão de Pessoas e consultora em Gestão Empresarial