O Presidente do Sindhosba participou da cerimônia de abertura do evento

SONY DSC

Representantes da saúde marcaram presença no Seminário “O Futuro da Saúde no Brasil” que aconteceu ontem (22/03) em Salvador.  Através de conferência, painel e talk show,  gestores e profissionais que atuam nos diversos segmentos da saúde puderam refletir sobre temáticas que contribuam para a efetividade da prestação dos serviços em saúde e a consequente entrega de valor ao paciente. O evento foi promovido pela Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia – Ahseb e contou com  o apoio do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Estado da Bahia – Sindhosba.

O presidente da Ahseb, Mauro Adan, explicou durante o seminário que discutir o futuro da saúde é importante e estratégico. “As nossas instituições precisam se modernizar e adaptar-se ao cenário. Porém, não podemos unicamente adaptá-las ao que vai chegar, precisamos ser capazes de influenciar o futuro da saúde no Brasil”, disse o presidente da associação que reforçou a importância do setor para a economia do país, principalmente com relação a geração de empregos.

SONY DSC

Raimundo Correia, presidente do Sindhosba

Seguindo este posicionamento, o presidente do Sindhosba, Raimundo Correia, salientou que o planejamento de ações das empresas é fundamental para lidar com a velocidade das mudanças na área. “Nunca foi tão importante o planejamento, a reestruturação e, até, a prevenção para lidar com as modificações que estão sendo implementadas em uma velocidade muito grande. E para confortar com essa situação, nada melhor do que reunir cabeças pensantes, que vivenciam o problema no dia a dia para que encontrar os melhores caminhos e soluções”, destacou Raimundo Correia.

SONY DSC

Marcelo Brito, presidente da Febase e vice-presidente da CNS

Para Marcelo Brito, presidente da Federação Baiana de Saúde – Febase e vice-presidente da Confederação Nacional de Saúde – CNS, é sempre interessante discutir o futuro da saúde no Brasil, principalmente nesse momento de tantas incertezas. “A gente vive um paradoxo engraçado. Este ano a reforma trabalhista, em tese, dispensou o pagamento da contribuição sindical. E a imensa maioria das pessoas não pagaram. O futuro da saúde no Brasil perpassa tanto no que diz respeito as relações, formas de pagamento e relacionamento com o público como no relacionamento com os órgãos governamentais”, explicou Marcelo Brito que justificou a importância da existência da confederação, federação e sindicatos para que exista a possibilidade de realizar essas ações de parcerias entre os órgãos governamentais e o setor.

Participaram do evento também o Diretor de Projetos e Novos Negócios do Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde – Ibes, Christian Hart; a Coordenadora Geral do Planserv, Cristina Cardoso; a Presidente da Comissão de Direito à Saúde da OAB-BA, Itana Viana; e, o representante do Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Casas de Saúde do Município do Rio de Janeiro – SindhRio, João Lucena.